quarta-feira, dezembro 15, 2010

O sonho de Bob Dylan

http://www.navegancia.com/bocadecanhao/wp-content/uploads/2008/03/bob-dylan.jpgEnquanto andava em um trem indo para o oeste
Eu caí no sono para descansar
Sonhei um sonho que me deixou triste
Tratando de mim e os primeiros poucos amigos que tive

Com olhos úmidos eu encarei o quarto
Onde meus amigos e eu passamos muitas tardes
Onde juntos enfrentamos muitas tempestades 
Rindo e cantando até altas horas da manhã

Perto do velho fogão a lenha
Onde nossos chapéus eram pendurados
Nossas palavras eram ditas, nossas canções cantadas
Onde desejávamos nada e éramos satisfeitos
Brincando e conversando sobre o mundo lá fora

Com corações famintos pelo calor e frio
Nunca pensávamos que pudéssemos envelhecer
Pensávamos que poderíamos sentar para sempre em diversão
Mas nossas chances eram na verdade de um milhão contra um

Tão fácil quanto discernir o preto do branco
Era assim tão fácil discernir o certo do errado
E nossas obrigações eram poucas e a idéia nunca bateu
De que a estrada única que viajávamos
Poderia rachar e partir

Quantos anos já se passaram e se foram
E muitas apostas foram perdidas e vencidas
E muitas estradas levaram meus amigos
E cada um eu jamais vi novamente

Eu desejo, eu desejo, eu desejo em vão que pudéssemos
Simplesmente sentar naquele quarto novamente
Dez mil dólares ao cair de um chapéu
Eu daria tudo alegremente
Se nossas vidas pudessem ser daquele modo

1 trocaram ideia:

Pedro

Essa música tem uma magia que parece ser de um sonho mesmo...

A forma como Dylan a interpretou em The Freewhelin' parece ser naquele estágio quase dopado que antecede o sono.

Boa tradução!

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Brothers do Facebook

Seguidores

Pensamento

‎"O que mata as pessoas é a ambição. E também esta tendência para a sociedade de consumo. Quando vejo publicidade na televisão, digo a mim mesmo: podem me apresentar isto anos a fio que nunca comprarei nada daquilo que mostram. Nunca desejei um belo automóvel. Nunca desejei outra coisa senão ser eu próprio. Posso caminhar na rua com as mãos nos bolsos e sinto-me um príncipe."
Albert Cossery
 

Parceiros

Baú do Hippie

Nuvem de Tags

Poesias Contracultura Biografias Música também é poesia Religião e Exoterismo Música para download Bob Dylan Livros Segredos do sistema Política Raulseixismo Letra e Clipe Francisco Jamess poetas Jack Kerouac Contos Ecologia Gente nova Crônicas Frases Notícias contos fantásticos Clipes Ebooks Mitologia Aleister Crowley Dicas de Informática Filosofia Música boa Vídeos Zen cotidiano fantástico Augusto Mota Hippies Rock Blues Hanny Saraiva Pintores e Quadros Resenha Zé Ramalho estórias humor literatura Nacional Anos 80 Maurício Baia Shows mitologia grega Arte Casa das máquinas Cultura Regional Deuses Discografias Geração Beat Letras Raul Seixas Maconha Meio Ambiente Novos Baianos Produção independente Rau Seixas Raul Seixas Velhas Virgens desabafo literatura livro the doors AC/DC Adriana Vargas Agridoce Alceu Valença Amor Amor ou Sexo Anne Rice Anya Análise de Letras Apostilas As freiras que só ouvem rock Banca do Blues Bandas Beatniks Bertold Brecht Bertolt Brecht Beto Guedes Bossa Nova Caetano Veloso Campanhas Campinas Chico Buarque Clube de Autores Conspirações Deus Hermes Escrita Automática Eventos Experimentalismo Explicações pitorecas Felipe Neto Fernando Pessoa Friedrich Nietzsche Geraldo Azevedo Geraldo Vandré Henaph História Homenagem Imprensa Jards Macalé Jim Morrison Jimi Hendrix Jornalismo Khalil Gibram Khalil Gibran Lapa Manoel F. dos Santos Mapa de Piri Reis Mensageiros do subsolo Músicas Online Novidades O Jardim das Rosas Negras O Oitavo Pecado O Profeta O amor Pablo Picasso Pecado Pedra Letícia Pensamentos Pinturas Prensa Protestos Provos Prêmios e selos Rita Lee Sagrado coração da Terra Samantha Selène d'Aquitaine Simone O. Marques Slash Sérgio Sampaio Tattoo Televisão The Doses anjo assaltos casa cinema conto-de-fadas cursos e tutoriais demônio download editora Modo fada feérico juventude literatura brasileira lua meio-demônio os sete pecados capitais sangue de demônio sangue de fada snctzo tatuagem trama vampiro vampiros
 

Templates by Profile Link Services | website template | article spinner by Blogger Templates